Pular para o conteúdo principal

Prestigio de colher pensa numa DÍLICIA (RECEITA EM VÍDEO)

Açúcar


 Saiba um pouco sobre um dos alimentos mais consumido no mundo, que já  foi considerado um produto de botica no século XVIII  
O açúcar entrou no mundo pelo laboratório dos boticários, onde desempenhou um papel importante , pois para falar de alguém a quem faltasse algo essencial, dizia-se: "é como boticário sem açúcar".Esse comentário de Brillat-Savarin ( século XVIII) é bastante exato, já que por muito tempo o açúcar foi considerado um produto de botica por ser usado quase sempre como medicamento.Ele tornou-se um elemento inquestionável na farmacopeia ocidental, como atestam os textos de Galeno, que iniciou um classificação para receitas com plantas medicinais baseadas nos ensinamentos de Hipócrates, criando uma tipologia própria

     A planta e as técnicas de fabricação desse precioso produto, considerado uma especiaria rara e um poderoso componente medicinal e farmacêutico, foram levados do oriente para a bacia do Mediterrâneo e , posteriormente para a Península Ibérica pelos árabes. Foram eles também os responsáveis pelo desenvolvimento do seu consumo na medicina, na culinária e na doçaria, mas foram os chineses que fizeram as primeiras experiencias para transformar o sumo da cana de açúcar em sólido.Seu uso terapêutico era indicado para suprir a insuficiência calórica por ser considerado como fortificante ou complemento alimentar.Era também aconselhado , no incio da época moderna para "confortar "o estômago e os intestinos e dar boa disposição ao ventre.

   Essa associação entre alimentação e saúde é muito antiga e os cuidados com o corpo originaram numerosos tratados médicos e de caráter moral, que seguiam muitas vezes o famoso preceito de Hipócrates: " dos teus alimentos farás tua medicina".A alimentação teve, assim, um papel primordial na teoria de Hipócrates, já que seria a responsável pela gestão da harmonia que deveria reinar entre os humores constituintes do corpo humano.

  Ao longo dos séculos, contudo, o açúcar foi considerado ora um excelente medicamento para restabelecer a saúde do corpo enfermo, ora um elemento a ser excluído das dietas por causar distúrbios ao corpo sadio.O seu uso deveria, portanto, ser bem dosado e combinado a fim de manter o equilíbrio necessário ao organismo.

                                  
  De fato, no universo da composições gastronômicas, o açúcar foi perdendo, ao longo da Era Moderna, a função que possuía até a Idade Media, de ser apenas condimento ou especiaria, assumindo o papel de gênero básico e indispensável na alimentação e associado a outros gêneros, o açúcar passou a gerar alimentos e sabores múltiplos, transformando o Renascimento na "era das guloseimas".

   No final do século XVIII, quando seu uso ja havia feito a entrada triunfal no setor da confeitaria e doçaria, Brillat-Savarin resumiu com certo humor a habilidade e o resultado da combinação do açúcar com outros produtos: "Misturado com farinha e ovos,(o açúcar) fornece os biscoitos, os bolos
os pudins e aquela quantidade de iguarias leves que constitui a arte
bastante recente na confeitaria.Misturado com leite,fornece os cremes,
os manjares -brancos e outras sobremesas que encerram agradável-
mente uma refeição.Misturado às frutas e às flores, fornece as geleias,
as marmeladas  ,as conservas, as gelatinas e os candis, o que nos per-
mite apreciar o perfume dessas frutas e dessas flores muito tempo
após a época que a natureza havia fixado para sua duração.Enfim,
misturado ao álcool, o açúcar fornece os licores...."

  
 Fonte:Alimentação, Saúde e  Sociabilidade



                                                                                                                        

Comentários